Fala meu povo.

Depois de muito tempo, chega mais que hoje tem resenha.

Vida de peão é tenso, mas nois dá um jeito né não jaum!?

Eu tenho acompanhado bastante sites de cultura pop em geral, desde filmes, até tintas para tecidos ( …descobri que dependendo do tom da cor que usar, poderá salvar sua camisa ou enterrá-la de vez para todo o sempre … é sério!)

E algo chamou a minha atenção, sobre críticas que esses sites faziam de acordo com os temas de cada um, tinham deveras um padrões que me incomoda muito: A grande maioria se preocupava mais em ser “agressivas” com os assuntos que diziam serem ruins e ignorando todo o restante que valiam a pena exaltar.

Um filme pode ter o roteiro ruim, mas uma ótima fotografia e desenvolvimento de narrativa. Uma comida pode ter uma apresentação péssima, mas um sabor considerávelmente bom e saudável. Tipo doce de amendoin…que não é saudável, mas é perfeito mesmo assim, contemplem :

Resultado de imagem para doce de amendoim
Das minhas quebradas isso é conhecido como Doce de Gibi e assim deve ser, não é uma democracia.

Quase nunca é preto no branco, mas mesmo assim dão a entender que quanto mais dura e enfurecida é o texto crítico, mas credibilidade terá.

Até hoje eu tenho pra mim que a opnião dissertativa sobre algo, é como uma dissecação sobre determinado assunto, vai obervando cada detalhe, tentando entendo o “porquê”  do autor ter escolhido arquitetar cada parte, não tentar mostrar que é melhor que o mesmo ou destruí-lo menosprezando sua criação.

<Filosofando>

Em um determinando momento da minha vida, eu comecei a pensar qual caminho a humanidade percorreu para chegar onde chegou e o que de fato aprendemos, servindo de suporte para nossos conhecimentos atuais. O que hoje em dia não impede que mesmo alguém com grande conhecimento e experiência desenvolva coisas ruins,  de pouco impacto ou até mesmo inúteis.

</Filosofando>

Uma boa crítica tem uma boa base que a consolida.

Crítica vazia é o mesmo é o mesmo grito de um incel no modo ativar.

Claro que todos que expoê suas habilidades e criações ao público estão (e devem estar), expostos à críticas, porém não faz o menor sentido dizer que um autor é péssimo, se em seu histórico de vida desenvolveu algo que muitos disseram ser bom. Isso tem nome, desonestidade.

Hoje vivemos debates  forjados através de pessoas que querem, acima de tudo, estarem corretas. Isso inclui sustentar opiniões com meias verdades, informações distorcidas ou até mesmo inventadas (pois o importante é criar ,pelo menos uma dúvida no ouvinte, e então alguns tomam aquela desinformação como verdade e não se preocupam em validar).

Enfim, não é bem um assunto novo, mas eu gosto de refletir sobre esses temas. Por isso a ideia é que haja mais RESPEITO com pessoas que já demonstram habilidades e grande conhecimentos em suas vidas, sendo que não é porque não está numa fase boa, que sua história de vida deva ser esquecida.

 

Meu nome não Jhonny é Rogério e quando não estou escrevendo pro  Ideia Errada, vago pela vida mostrando pro povo como é ser um destruidor de expectativas de primeira 🙂