Antes tarde do que nunca!boraaaaa!

Na data  7 de maio em 2020, fomos informados dos lançamentos de jogos da nova era do XBOX Série X (Nome ruim, prefiro Scorpion). A padronização  dos jogos de tiro que foram anunciados na conferencia fazia algo nostálgico  que remetia aos anos 90! Todos tinham sabor de Doom ou Quake de um jeito ou de outro, passando a sensação que a industria estava querendo voltar a era do tiro arcade e abandonar um pouco o ar realista e dinâmico que Call of Duty e Battlefield ditaram na industria de jogos por quase 20 anos. Os RPGs por outro lado não tiveram esse problema mostrando ser muito promissores na suas propostas e ideias.

Vou falar dos que eu mais gostei e me recuso a cobrir tudo devido a preguiça cronica que me aflige!

The Ascent é um RPG de ação single player e cooperativo (ofensas a sua mãe é opcional) que acontece em um mundo cyberpunk ao estilo semelhante Final Fantasy 7 e Cyberpunk 2077. O Grupo Ascent, uma megacorporação dona da p*&¨ toda (tipo um planeta ta ligado?) faliu que nem a rede Manchete e o Banestado deixando um monte de gente (e alienígenas até) na rua em escala mundial e os sistemas de segurança do planeta ruem, fazendo que outras empresas, gangues e todo tipo de maluco tente a sorte. O jogador tem que sobreviver nessa anarquia pós corporativa no melhor Diablo Style quebrando tudo enquanto evolui da maneira mais RPGistica possível! Espero que seja um bom jogo pois tem futuro agora que os já citados Final Fantasy 7 e Cyberpunk 2077 colocaram o tema cyberpunk em voga e nas mão certas isso pode gerar um bom jogo isométrico que pode senão ser incrível ou pelo menos divertir uma tarde chuvosa com os amigos.

Imagine um jogo bom do Alien, feito por gente que admira o bicho e seu criador H.R Giger (eu ia falar do Ridley Scott mas quero que ele vá tomar… remédios) e todo seu estilo, imagine! Esse jogo é Dark Seed para MS-DOS de 1992! Esse jogo incrível trata a ideia de o visual de Giger e tem uma narrativa boa… Mas to zuando, vou falar de Scorn e como esse jogo que sai (quem sabe) esse ano porque ele ta sendo prometido desde 2014! Sério, ou essa belezinha, digo, feiurinha seja um bom jogo de tiro com elementos bizarros que tanto promete ou vai ficar  igual a Agony, é Agony! Lembra do jogo de terror no inferno que deixou muita gente decepcionada ou pouco impressionada? Scorn ta na mesma corda bamba por não mostrar gameplay e ter demorado tanto feito Duke Nuken e Final Fantasy 15. Tenho esperança que mesmo que esse jogo seja uma bomba ele ao menos sera bonito de se ver saca?

De uns tempos pra cá tem muito jogo de terror com a proposta de resolver quebra cabeças (puzzles meu ovo!) na industria, temos Amnesia, Slenderman e as oito paginas (e o mod com o Pai de Família que os BR fez), Outlast mas também temos um monte de lixo no caminho como Agony e Jun-On. Na mesma onda temos jogos baseados em H. P. Lovecraft e seus conceitos de horror cósmico (To falando do Cthulhu, Necronomicon e Re-Animator) e nos oferece a série Souls/Bloodborne, Call of Cthulhu Dark Corners of the Earth (obrigado ctrl c/ctrl v por me ajudar nesse nome), Eternal Darkness, Darkest Dungeon, mas também sai porcarias pretensiosas tipo   Sinking-City e Call of Cthulhu 2018. Agora que escrevi esse textão quero saber em que parte Call of the Sea se encaixa, ele é lindo e isso pode ser ruim pois o tema do horror cósmico sempre começa triste ou soturno vai pro horror e terror sensorial para esmagar qualquer vestígio de sanidade e felicidade dos personagens. Só o tempo dirá se esse jogo vai se mostrar uma boa adição pro tema lovecraftiano.    

The Medium é um Silent Hill europeu, sério, até chamaram o compositor original e tudo mais! Vai ser bom? A empresa produziu Layers of Fear e o jogo da Bruxa de Blair. agora é esperar e ver o que sai disso mas como o povo dos forums/chans/reddits tão mais ou menos empolgados e receosos (até eu to) pois parece que teremos um Silent Hill europeu só que prestando… mas só de lembrar que Silent Hill: Homecoming e Downpour foram feitos na Europa! Fico com gosto ruim na boca e espero estar errado quanto a isso.

Vampire: The Masquerade é uma marca noventista e saudosa de RPG sobre vampiros. Ela abordou o tema de monstros de filmes de terror de uma maneira madura, sexy, sombria e diferente de D&D/Caverna do Dragão saca? O jeito como ela deixou de longe as masmorras, espadas e caixões para abraçar as cidades modernas e seus prazeres efêmeros além de inspirar os nerds, góticos, garotas raras e diferentes, mais nerds que conhecem o RPG quase que fundar uma religião pra essa obra! É sério, é uma fanbase fiel! Tendo sangue gótico e urbano nas veias (e presas) para tratar das emocionantes, bizarramente brutais não vidas dos filhos de Caim e suas tretas com fadas, lobisomens, bruxos, fantasmas, entre os próprios vampiros, demônios, repitilianos, homens pássaros, mais vampiros, frankestains e qualquer outro grupo ou organização que vier a atacar os caras um joguinho de computador era inevitável e rendeu boas criticas… MAS NÃO VENDEU! É meus amigos, GTA  de vampiro não vai pra frente mesmo! Mas os atuais detentores da marca ficaram felizes de mais ao saber que podiam brincar com a franquia e agora temos mais Vampiro a Mascara! Se vai seguir a narrativa e aventuras doidas do original? Os criadores dizem que sim pois são fans e darão o sangue pra essa franquia ir pra frente seja no gameplay ou narrativa. Resta saber se esse titulo que vai sair pra consoles modernos e futuros vai reviver o poder dos seres da noite entre os mortais ou vai ser esquecida que nem Crepúsculo.