Aew bem vindo bininos e beninas, essa é a minha primeira resenha no Ideia Errada (Emotion Apaixonado *-*). Atrasado, eu sei,porém vou falar sobre a serie da Netflix, The Umbrella Academy, Yahoooo! A série é realmente muito boa, e uma ótima adaptação. Quem leu ou não a HQ vai curtir muito de qualquer maneira.
PS: não há spoilers em todo o texto.

 

ADAPTAÇÃO

 

 

Em ambos casos (HQ e Serie), nos vemos em um mundo melancólico pré-apocalíptico, na qual 7 crianças demonstram como ficaram traumatizadas com um bilionário que as adotou.

Após um evento em que 43 mulheres deram à luz a crianças ao mesmo tempo, mesmo sem terem tido relações sexuais(imagino a cara dos namorados de algumas delas), o bilionário Sir Reginald Hargreeves conseguiu reunir e adotar 7 delas.

 

As referências a HQ rolam soltas durante todos os episódios praticamente. E pode-se dizer que a principal diferença entre a obra original e a série, é que na primeira o foco é mais nos personagens e o impacto deles no mundo e sendo que o segundo, seria mais no mundo e como os heróis lidam com os traumas relacionados a sua infância. Ou seja, a serie é do mundo para os heróis e a HQ dos Heróis para o mundo

 

Algumas partes mudaram significativamente, como a ausência do guarda costas de Hargreeves, o Abhijat e também vilões como o Robô Zumbi e Mr Terminal, entre outros que abordarei mais à frente

 

PERSONAGENS

 

 

O monóluco: Sir Reginald Hargreeves(Ator Colm Feore), o excelentíssimo cuzão de todos e pai adotivo dos heróis. Meu, é serio, pensa num gênio da ciência, mas péssimo pai e líder! Muita desgraça poderia ter deixado de acontecer, se algumas palavras/atos paternos fossem ditos/feitos.

O maledetto berdinazzi denominou 7 crianças com números, NÚMEROS. Que desnaturado fela da pota ¬¬.

 

Existem momentos que você pensa que há um motivo para eles ter se tornado cuzão dessa forma, mas no momento seguinte essa ideia é rapidamente enterrada.

Em uma de suas várias experiências, têm a de modificação genética em Chimpanzés, o que deu origem ao Pogo (voz do Adam Godley). Eu tive a impressão de Pogo ter um relacionamento mais a de um tio, do que a de um pai propriamente dito. E também a mãe adotiva de todos Grace Hargreeves (Atriz Jordan C. Robins), que de certa forma tem um ótimo relacionamentos com todos. Se é que se pode dizer isso, depois de um certo tempo.

 

Eis os brodi ai: número 1 Luther o Spaceboy (Tom Hopper), o carinha mais leal e de boa de todos. Tende a ser o líder dentre os irmãos, pois possui força sobre-humana, mas é lento na maioria das vezes e em diversos momentos tem sua liderança questionada por…
Diego: o número 2, vulgo Kraken (David Castañeda). Ele é o mais cuzão dentre os irmãos e possui a habilidade mais específica também: manipula objetos metálicos pequenos. Por diversas vezes toca na ferida de um ou outro, mas bipolarmente (You got a new word), os ajuda quando pedem. É teimoso feito uma mula.

 

Logo em seguida temos a única dos 7 que tentaram ter uma vida social de fato (casar, construir uma família e etc). Estamos falando de Allison: a Rumor , número 3 (Emmy Raver). Ela e o Luther são os mais burrinhos, na minha opinião. Possui o poder do controle mental ,começando o comando dizendo “eu ouvi um rumor”… É um poder completamente útil, porém mesmo com o treino que teve durante toda infância, ela caga na farofa e não faz quase nada direito.

 

Contemplem o Klaus: número 4, vulgo Séance (Robert Sheehan). Basicamente o melhor personagem da adaptação. É um carinha caótico e mandou um foda-se pro mundo, mas ainda demonstra carinho pelos irmãos adotivos. Inimigo público número 1 do Proerd, ele tem o poder de interagir com os mortos, tipo Shaman King (ah procura lá vai,pra saber o que é) e com o tempo vai percebendo que seu poder é maior do que imaginava. Sério, ele é muito foda e engraçado, sem te fazer rir de fato.

 


Agora chegamos no maior Badass do rolê, o Número 5: The boy (Aidan Gallagher), ele é um ótimo personagem também e possui o poder distorcer o espaço tempo. Apesar dos avisos de seu pai cuzão, sobre as tretas que é mexer com esse tipo de coisa, ele acabou levando a si mesmo para o futuro, onde ele viu um “1” todo fudido, FUDIDO! Depois de passar o maior perrengue, volta pra alertar o resto e começar uma aventura com a sua família querida (OWN,que bunitinho, música de abertura da grande família de fundo s2).

Ele meio que se torna frio e caculista, mas suas ações por vezes mostram o contrário. Apesar de que me passou a impressão de que ele queria ser igual ao pai adotivo.

 

The Oscar go to a maior Incógnita da serie inteira. Número 6: Ben, vulgo Horror(Justin H. Min). Tanto na HQ quanto na série ele já começa morto na história, porém ele interage com o Klaus quase o tempo todo e acaba se tornando sua consciência e ajudando os heróis, através do poder do Senhor Proerd (me obrigue a parar de chamar ele assim,só ouse…).

 

Enfim, temos nossa Lady Inception Número 7: Vanyaaaaaaaaaaaaaa (Ellen Page remédios para depressão). É sério meo, acho que quando a Ellen Page treina suas interpretações em frente ao espelho, deve chorar em todas às vezes. Poura, pensa em alguém que faz um semblante triste, sem o mínimos esforço. Aposto que se ela for dar uma palestra num encontro anônimos de depressivos, o pessoal sairia de lá chocado. De fato a personagem caiu como uma luva, que apesar de apanhar muito durante toda a história, faz sentido os erros que ela comete, diferente das antas Número 1 e 3.

Olha pra essa expressão ‘-‘

 

VILÕES

 

Eis algo que me  surpreendeu bastante, o quão profundo abordaram os vilões na série. Sendo que na obra original eles apenas cumprem suas ordens, mas ali eu acredito que dosaram de fórmula exemplar, o tempo que usaram para desenvolver o objetivo/personalidade de cada um.

 

Cha Cha e Hazel (Mary J Blige e Cameron Britton), uma dupla de agente de uma organização atemporal, com a missão vinculada ao apocalipse e talz. Nas HQ as características deles não foram aprofundadas, porém na série ficaram ótimas. Lembra que eu havia falado sobre como os personagens lidavam com o mundo? Pois é, aqui vem o caso, onde o Hazel é um cara que demonstra estar cansado da vida que leva, tentado aproveitar as poucas coisas boas que a vida proporciona, enquanto Cha Cha apenas quer fazer o trabalho e seguir a vida.

 

Eu não costumo maratonar series, porém, realmente fiquei feliz com todo o cuidado que deram para essa obra, que pensei ter ficada esquecida num limbo das boas obras de outrora. Acredito que haverá uma 2ª temporada, pois houveram pontas soltas o suficiente.

São episódios curtos e deliciosos, termina de ler logo essa budega de texto e vai lá assistir (emotion de raiva)!

Ficha Técnica: The Umbrella Academy – 1ª Temporada (Original Netflix)

  • Título Original: The Umbrella Academy
  • Duração: 10 episódios
  • Ano produção: 2019
  • Estreia: 15 de fevereiro de 2019
  • Distribuidora: Netflix
  • Dirigido por:
  • Orçamento:
  • Classificação: 16 anos
  • Gênero: Ação, Fantasia
  • Países de Origem: EUA

Eh nozes!