Oi, aqui é o LoneWolf!

A Weekly Shōnen Jump é a maior revista em mangás do Japão. Nela foram publicadas os mangás mais conhecidos do mundo, como Dragon Ball, Cavaleiros do Zodíaco/Saint Seiya, Naruto etc etc etc…
A primeira publicação dela foi no dia 1º de agosto de 1968 e de lá pra cá, muitas séries foram publicadas nela e muitos mangakás descobertos.

Divulgação/Internet

A edição número 1 da revista já trazia um nome de peso: Go Nagai, pai do Devilman, Mazinger Z, Cutie Honey entre outros, além de trazer traduções/adaptações das tirinhas diárias de Flash Gordon do cartunista Dan Barry.

Hoje irei falar de uma maneira “rápida”, o que pra mim são as 4 eras da revista e os mangakás que mudaram para sempre o rumo dessa revista.

O primeiro mangaká que falarei é o Hiroshi Motomiya com o seu mangá Otoko Ippiki Gaki-Taishō, no qual viria a ser o dos 2 maiores sucessos da revista na época, ao lado de Go Nagai e seu mangá Harenchi Gakuen, considerado o primeiro mangá Ecchi.

Capa da Shonen Jump 11/68 e capa do volume 1 de Otoko Ippiki Gaki-Daishō – Divulgação/Internet

Otoko Ippiki teve a primeira publicação na edição 11/1968, lançada em 26/12/1968, com um total de 152 capítulos e 20 volumes publicados.

O segundo mangaká que falarei é ele, o cara que dispensa apresentações, o Mestre (para os íntimos) Masami Kurumada e seu mangá Ring Ni Kakero. Ele havia sido assistente do Motomiya e o mangá Otoko Ippiki havia lhe despertado a paixão. Após alguns trabalhos como Sukeban Arashi, que tratava de uma garota delinquente, Kurumada acerta a mão e se torna uma Super Estrela Jump com seu mangá Ring Ni Kakero.

Capa da Shonen Jump 2/77 e capa do volume 1 de Ring Ni Kakero – Divulgação/Internet

Ring Ni Kakero teve a primeira publicação na edição 02/1977, lançada em 10/01/1977, com um total de 122 capítulos e 25 volumes publicados.

Claro que Ring Ni Kakero também despertaria paixões e na época, ele despertou paixão e admiração de um dos (se não o maior) mangakás mais conhecidos mundialmente e o terceiro a ser falado aqui: Akira Toriyama. Enquanto escrevia seu sucesso, Dr. Slump, ele apareceu em uma sessão de carta no volume 23 de Ring Ni Kakero, dizendo que admirava o Kurumada e que queria criar personagens cativantes como os de Ring Ni Kakero.

Após isso, Toriyama começou escrever o mangá mais conhecido do mundo, sim, estamos falando de Dragon Ball, o mangá que ainda influência vários mangakás, autores, quadrinistas e várias pessoas no mundo da arte até hoje, um ícone mundial.

Capa da Shonen Jump 51/84 e capa do volume 1 de Dragon Ball – Divulgação/Internet

Dragon Ball teve a primeira publicação na edição 51/1984, lançada em 03/12/1984, com um total de 520 capítulos e 42 volumes publicados.

Por fim, após Dragon Ball ser o mega sucesso que é, chegamos ao último das 4 eras, vamos falar do sucesso esmagador de One Piece, do Eichiiro Oda.

Mangá sendo lançado desde 1997, com quase 1000 capítulos e com programação para o 100º volume, One Piece se tornou um dos mangás de sucesso astronômico, chegando a disputar com heróis internacionais como o Batman em volume de vendas, é algo que nem os japoneses esperavam, simplesmente surreal.

Claro que todo o crédito vai para o Oda, pois o mesmo revelou recentemente (4 dias atrás) que se não fosse a insistência de publicar seu mangá no mesmo lugar que o seu obra favorita, Dragon Ball, provavelmente não seria lançado, sendo inclusive rejeitado várias vezes antes de conseguir estrear na Shonen Jump.

Capa da Shonen Jump 34/97 e capa do volume 1 de One Piece – Divulgação/Internet

One Piece teve a primeira publicação na edição 34/1997, lançada em 03/12/1984 e ainda em publicação com 990 capítulos e 97 volumes (97º sendo lançado amanhã no Japão se não adiarem novamente).

Tem o caso dessa edição comemorativa da Shonen Jump de 2008 que coloca como sucesso da época de 70 o Kinnikuman (ou Músculo Total como ficou conhecido no Brasil), mas de acordo com os TOCs da época, ele disputava bastante com Ring Ni Kakero  mas no fim, Ring Ni Kakero se saiu vencedor, tanto que com a venda dos volumes dos mangás de Ring Ni Kakero, a Shueisha (editora que publica a Shonen Jump), chegou a comprar um prédio empresarial, onde alguns relatam que a editora funciona até hoje!

Kinnikuman parou um tempo e depois retornou, que continua sendo publicado até hoje. Foi um sucesso também na época, mas não batendo Ring Ni Kakero.

Enquanto do outro lado, dizem que na época, Kurumada tinha brigado com a Shueisha e só foram se acertar quando foi o lançamento dos OVAS/Episódios de Os Cavaleiros do Zodíaco – Hades Santuário, por isso que teve um digamos que corte nos mangás do Kurumada, só retornando após essa reconciliação.

O fato é que pesquisas e relatos mostram para mim que esses são as 4 eras da Shonen Jump, posso estar errado? Claro! Mas a única certeza que tenho é que a Shonen Jump tem muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuita história pra contar ainda, seja em mangá, empresarial ou brigas internas.

Aqui é LoneWolf e a pergunta é: E você, já sentiu o cosmo?